"Não compreendo ainda quem sou, mais estou a procura de mim. Sou apenas um caminhante que perdeu o medo de se perder. Não posso mudar o que fui, mais posso construir o que serei." Augusto Cury
"O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser." Mário Quintana
"A mente que se abre a uma nova idéia jamais volta ao seu tamanho original." Albert Einstein

Déjà vu

~ quarta-feira, 25 de agosto de 2010

"Sabe-se que nossa memória às vezes pode falhar; nem sempre se consegue distinguir o que é novo do que já era conhecido. Eu já li este livro? Já assisti a este filme? Já estive neste lugar antes? Eu conheço esse sujeito? - essas são perguntas corriqueiras de nossa vida. No entanto, essas dúvidas não são acompanhadas daquele sentimento de estranheza que é indispensável ao verdadeiro déjà vu. Eu posso até me sentir um pouco confuso, ou indeciso, ou triste por sentir que minha memória já não tem a limpidez de outros tempos, mas isso é natural; o sentimento associado ao déjà vu clássico não é o de confusão ou de dúvida, mas sim o de estranheza. Não há nada de estranho em não se lembrar de um livro que se leu ou de um filme a que se assistiu; estranho (e aqui se entra no déjà vu) é sentir que a cena que parece familiar não deveria sê-lo. Tem-se a sensação esquisita de estar revivendo alguma experiência passada, sabendo que é materialmente impossível que ela tenha algum dia ocorrido. Mas, o que é mais intrigante nesta questão é o fato do indivíduo poder, nestas circunstâncias, experimentar esta estranha sensação de já ter vivenciado o que lhe ocorre, e, além disso, também poderem relatar (antes de uma observação) quais serão os acontecimentos seguintes que se manifestarão nesta sua experiência." - Fonte: Wikipédia

Acho que todos nós já passamos por isso. O mais legal é que realmente, parecemos recordar de algo, como se já tivéssemos vivenciado aqui, e por fim parece que já experimentamos. Mas na verdade, é algo novo, nunca visto por nós ou sentido e experimentado. Nossa mente é capaz de nos enganar de tamanha forma que nos impressiona.

Mas há algo sobre isso que muita gente deixa de lado. E quando isso acontece muitos não entendem e realmente acham que é algo sobrenatural, ou de vidas passadas. No caso, é a nossa falha humana entrando em ação. Nada mais que isso. Alguns têm uma experiência com isso que dura até alguns dias, ou mais! Mas, pelo racional é que fica a parte em que nossos cérebros conseguem juntar lugares, fotos, imagens e associá-las a o que presenciamos num determinado momento. Seja até mesmo, por ter visto a foto de alguém de relance e não ter notado, ou mesmo ouvir um nome, frase, ou seja, o que for.

O ponto é, quando isso acontece, tem um significado. Apesar de a nossa memória ser falha, às vezes ela nos surpreende. O Déjà vu que muitos de nós sentimos, é sobre uma expectativa de algo. Por que realmente gostamos do que está acontecendo, ou não. É uma vivência forte, de maior emoção, ou de uma simplicidade inexplicável.

Em muitos dos casos, temos a impressão de já conhecer alguém. Seja por que essa pessoa é boa de mais, e atinja os seus pontos de interesse, ou como se diz muito, a sua lista de expectativas mentais. Muitos recordam de lugares e outros de objetos. Seja do que for sempre sofreremos com as falhas da memória. Não somos perfeitos.

Sobre as pessoas, é engraçado que encontremos alguém que nos faça bem, e que desde uma primeira conversa, aquela da primeira impressão já a gostemos. É incrível quando isso acontece. É claro que em boas partes de casos, o que começa bem, morre pela metade. As pessoas são tão impressionáveis, e tão mais adeptas a adrenalina alta que quando algo fica ‘tedioso’ ou não se tem mais aquele ânimo que havia no começo, às pessoas começam a procurar novas pessoas. Para reacender o que se havia acendido... É como se as pessoas, fizessem novas amizades, apenas para saciar a sua ânsia momentânea.

Não temos como negar que no mundo que vivemos hoje, com tanta informação, com tanta gente, queremos tudo! Antigamente nossos pais e avós se saciavam com pouco. Hoje, queremos mais, e quando temos, queremos mais, e mais e mais! Parece uma busca infindável por uma sacies inalcançável. Mas, até que ponto devemos continuar? Hoje em dia, se desconhece o ponto de parada. A sociedade nos induz a nunca desistir dos nossos sonhos, sonhos esses que não são nossos em alguns casos, e sim impostos a nós pela sociedade. Ficar rico, não é um sonho de todos, sermos feliz é. Parece que para alcançar a felicidade, ser rico é necessário. Sendo rico, pode se tiver tudo, de material. E podendo ter isso, se ostenta ser maior, melhor e mais qualificado para qualquer coisa, do que o outro.

Lembre-se para ser feliz precisamos de boa saúde e boa memória. Lembrar das coisas boas da vida, e dar valor ao que é bom, sem precisar pagar por isso. Seja bom com as pessoas, não por que você quer algo em troca, mas seja bom simplesmente por ser uma boa pessoa. Ser lembrado por amigos em vida sempre, em não datas especiais é o que deveria fazer-nos sentirmos bem. Do que adianta receber parabéns por uma conquista, um aniversário ou mesmo um ato de heroísmo, uma única vez por ano que seja, e depois passar os outros dias, sozinho. Se você fez amigos, cuide-os! Se você planta, você tem que cuidar. Se você não cuidar, você poderá perder... Mas cuidado com amigos que possam a vir lhe dar apenas atenção pelo que você tem, representa ou é. Amigo de verdade, cuida. Importa-se e demonstra todos os dias, não apenas em datas específicas.

Tente viver mais em função dos outros do que em de si mesmo. Pois, há mais felicidade em dar do que em receber.

E se você leu algo aqui, que não se recorda não se preocupe. Sua memória está boa, mas usei de palavras vagamente conhecidas por alguns, para forçar a sua mente a se abrir. =D


Créditos de imagem: Garota de Pérola

5 Comentários:

camila hoepers. ☺ disse...

mi.. foram tantas as vezes que te parabenizei pelos seus textos, e eis que venho aqui mais uma vez fazer isso. eu sempre te admirei muito, pelo que tu escrevia, pelos temas usados por ti, pelo teu modo de escrever, e me impressionar tanto ao lê-los. adorei mais uma vez esse teu texto, é um assunto bem bom, e que pode ser bem trabalhado, assim como fizeste-o. continue sempre assim essa pessoa maravilhosa, que me inspira a escrever sempre. adoro muito você. um beijão, da sua amiga.. Camila Hoepers. ♥

Anônimo disse...

''Sua memória está boa, mas usei de palavras vagamente conhecidas por alguns, para forçar a sua mente a se abrir.''

Tá bom...

Parabéns pelo texto Michel Lopes! =D

Abraços.

Sá.

Felícia disse...

Oii, Michel!

Deja vú, eu tenho essas sensações diretooo!

Gostei do post, fazia tempo que eu não vinha aqui.

Beijo

Matheus P. Philippi disse...

Grande Michel, seus textos são muito interessantes e não é por esse ser o do topo que comento, mas, sim por realmente ser um assunto intrigante!

Creio que todo mundo já teve, tem ou terá essa sensação na vida! (ou nas vidas)

Abraços, em breve venho com mais tempo aqui para critica-lo HaHaHa

Sigamos com Deus!

Stephany *-* disse...

Amei teu texto. Escreve muito bem. Já te disse né, admiro tuas palavras. =D

Sucesso *-*

Postar um comentário

Prefira comentar usando seu nome. Para isso em COMENTAR COMO selecione NOME/URL e no campo NOME digite seu NOME ou APELIDO que preferir. O campo URL não é obrigatório.

Se você tem uma conta no Google (Gmail, Youtube, Orkut, Blogger) selecione CONTA DO GOOGLE faça LOGIN e comente usando seu perfil.

Comentários fora do contexto do texto, ou de chigamentos são deletados.

Todos os comentários são lidos!

Alguma obra foi posta aqui sem referência? Informe-nos, comentando aqui!

Use do bom português e de bom senso sempre.